TI, Comércio exterior e competitividade – entenda a relação!

Atualmente, olhar para o mundo é perceber, de maneira geral, uma realidade caracterizada por um grande volume de dados e alta informatização; do ponto de vista específico do mundo corporativo, tais características transformam-se na tomada de decisões fundamentada em informação e na forte influência das soluções e inovações tecnológicas  sobre o resultado das empresas.


Diante disso, é possível entender que, em uma economia marcada por uma intensa concorrência entre os players, o sucesso de uma companhia estará diretamente ligada às vantagens competitivas que ela possua, as quais, cada vez mais, estão associadas à Tecnologia da Informação.


Afinal, o que é vantagem competitiva?


No meio acadêmico há diversas definições acerca do que é vantagem competitiva, todas elas, entretanto, giram em torno do mesmo núcleo: gerar a percepção de valor ao cliente por meio, por exemplo,  do preço final de um produto ou serviço, pela exclusividade que possui na sua área de atuação, ou ainda, pela capacidade de superar seus concorrentes .


Contudo, em uma sociedade imersa no cenário que foi descrito, o desenvolvimento e estabelecimento de uma vantagem competitiva corporativa passa de forma indissociável pela TI, uma vez que ela permeia cada uma das atividades enquadradas nas nove categorias que formam a cadeia de valor (logística de entrada, fabricação, logística externa, marketing e vendas, serviços, infraestrutura, gestão de recursos humanos, desenvolvimento tecnológico, aquisição e compras).


Conceito que consiste na divisão das operações de uma empresa em áreas economicamente e tecnologicamente distintas uma das outra, mas que são ligadas entre si por vínculos, e que passam por intensos processos de avanço proporcionados pela rápida evolução da Tecnologia da Informação.


Quanto mais otimizado e produtivo for, tanto cada uma dessas atividades como a relação entre elas, maior será a capacidade de estabelecer vantagens competitivas frente aos concorrentes, especialmente quando se trata das operações relacionadas às categorias primárias da cadeia de valor:



  • cadeia de suprimentos;

  • desenvolvimento tecnológico e inovação;

  • fabricação;

  • marketing de vendas.


Comércio Exterior e Vantagem Competitiva


Em um mundo globalizado, no qual produção, fornecimento de insumos e comercialização quase sempre acontecem de forma descentralizada, o Comércio Exterior tem papel fundamental na competitividade e sucesso de um negócio, especialmente no que tange a cadeia de suprimentos e a fabricação.


Fechamento de portos, diminuição de produção de bens, aumento no tempo e no custo de frete foram algumas das consequências causadas pela pandemia de Covid-19 que afetaram diretamente a cadeia de suprimentos nos últimos dois anos e que aumentaram ainda mais a importância de uma atuação precisa do comércio internacional, a fim de solucionar os possíveis gaps gerados por este cenário.


Além disso, diante de uma realidade de alta competição e imersas numa economia globalizada, as empresas têm como desafio constante aumentar a produtividade e diminuir custo, levando seu processo de fabricação de produtos a ser realizado através de insumos nem sempre locais.


Algo que, mais uma vez, dá ao comércio exterior um papel preponderante, pois tanto o preço final do produto quanto o valor percebido pelo consumidor final estarão ligados diretamente à capacidade da organização de manter sua produção e distribuição constantes.  


Dessa forma, é possível perceber a forte influência do comércio internacional sobre a cadeia de valor de uma empresa e, consequentemente, sobre o desenvolvimento das vantagens competitivas de um negócio.


TI e Comércio Exterior


Diante da importância do comércio exterior para  o sucesso de uma empresa,  não seria possível que o setor atuasse à margem dos grandes avanços tecnológicos da área TI. 


Ou seja, a eficiência dos processos de importação e de exportação estará cada vez mais associada aos recursos da TI.


A seguir estão elencados alguns pontos nos quais a TI pode impactar positivamente o setor de Comércio Exterior conferindo-lhe competitividade e efetividade.


Comunicação


O Comércio Exterior lida, muitas vezes, com uma longa lista de agentes internos e externos em seus processos.


Com a TI é possível englobar através de recursos tecnológicos os setores e pessoas, por meio de plataformas de que integrem as áreas de uma negócio  e a utilização de ferramentas de comunicação desenvolvidos conforme a necessidade do setor, o fluxo de informações relevantes torna-se mais eficiente.


Além disso, com a Tecnologia da Informação é possível estabelecer o rastreamento das atividades do negócio, permitindo o conhecimento do estágio dos processos, o que facilita a comunicação também para o cliente.


Segurança e compliance


Ainda na esteira do fluxo de informações somada ao aumento recente de eventos de vazamento de dados sigilosos em importantes corporações, diante da grande variedade de agentes – governamentais e privados – , a TI tem importante papel em disponibilizar e desenvolver soluções  que garantam  o sigilo das informações.


Além disso, a automatização de procedimentos, especialmente  daqueles ligados a obrigações fiscais e aduaneiras, é uma forma pela qual o cumprimento do compliance pode ser garantido, o que aumenta a competitividade em um mercado global.


Agilidade e simplificação


A automatização de processos também oferece às corporações  agilidade em suas atividades, além da diminuição de risco das falhas inerentes à ação humana.  


Essa aplicação da Tecnologia da Informação ao comércio exterior pode auxiliar na avaliação de todo o processo corporativos, os métodos utilizados e sua eficácia e a necessidade de mudanças.


A possibilidade dessa avaliação ganhou ainda mais importância diante dos desafios impostos nos anos de pandemia, tanto pela necessidade  de adaptação a cenários, até então, impensáveis, quanto por auxiliar no estudo para redução de tempo de Lead Time.


Contudo, outra forma de dar celeridade aos processos do comércio exterior que está atrelada às soluções e recursos de automatização da TI é a simplificação de procedimentos  em consonância com um movimento já iniciado pela esfera pública, que também está associada à Tecnologia da Informação, de intensificar o processo de desburocratização e informatização das exigências relacionadas às atividade de importação e exportação.


Em um setor que, em média, segundo dados da United Nations Conference on Trade and Development (Unctad), envolve em torno de trinta agentes, cerca de quarenta documento e mais de duzentos dados para cada operação de exportação e importação não se pode abrir mão de plataformas e softwares robustos e de qualidade que alinhados a soluções públicas como Programa Portal Único de Comércio Exterior e Novo Processo de Importação, garantirão redução de tempo, burocracia e custo – em suma, vantagem competitiva.


Assertividade na gestão


A TI impacta positivamente o gerenciamento no comércio exterior na:



  • Qualidade e acessibilidade de dados através do Big Data, 

  • Análise precisa de informações por meio de Inteligência Artificial; 

  • Integração e automatização de processos empresariais proporcionados por softwares de alto desempenho. 


O atendimento ao grande volume de exigências, de desdobramentos e de informações das atividade do comércio internacional tem efeitos diretos na eficiência, produtividade e no próprio sucesso do negócio, tornando fundamental o desenvolvimento de uma gestão assertiva e eficaz.


A TI potencializa a capacidade de estabelecimento de uma gestão adequada à realidade atual do mercado global ao transformar dados em informações relevantes na forma de relatórios adaptados ao modelo de negócio de cada organização, e ao permitir um maior controle de todo o processo das operações empresariais.


Um gerenciamento preciso, que toma decisões baseado em dados consistentes e fornecidos em tempo real, apresenta-se como uma vantagem competitiva empresarial que contribui fortemente para o aumento da rentabilidade e lucratividade corporativas.


Nós da NGR Global


Manter-se competitivo, atender às demandas do mercado e superar os desafios próprios do comércio exterior são exigências que, além de facilitadas, não podem mais ser desassociadas da TI, por isso é crucial que a escolha de parcerias seja inteligente e racional.


Nós da NGR Global somos uma das principais empresas de consultoria em tecnologia da informação do mercado, com  mais de 20 anos de atuação e especializada em soluções para o comércio exterior.


Conte conosco para estabelecimento de vantagens competitivas através de soluções que atendam e superem as suas necessidades e expectativas.


Gostou desse artigo? Então inscreva-se no blog e fique por dentro das novidades em Comércio Exterior e Tecnologia.


71 dias atrás - 15 min


Compartilhe:

INSCREVA-SE